//Câmara de Palmela saúda Leonor Freitas

Câmara de Palmela saúda Leonor Freitas

Município aprovou, por unanimidade, na reunião descentralizada realizada a 29 de janeiro, uma saudação a Leonor Freitas.

A proprietária da Casa Ermelinda Freitas, em Fernando Pó, foi distinguida como ‘Personalidade do Ano’, na 8.ª edição do Prémio Nacional de Agricultura, promovido pelo BPI e com o alto patrocínio do Ministério da Agricultura.
A Câmara Municipal de Palmela reunida em sessão pública descentralizada, no passado dia 29 de janeiro, precisamente na aldeia de Fernando Pó, onde se localiza a ‘Casa Ermelinda Freitas’, aprovou um voto de saudação à empresária, reconhecendo assim o contributo desta para a notoriedade deste concelho integrado na Região vitivinícola da Península de Setúbal.

É este o texto, integral, da saudação:

“O Prémio Nacional de Agricultura 2019, promovido em parceria pelo BPI e pelo Grupo Cofina, que conta com o alto patrocínio do Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural e o apoio da PwC, tem como objetivo promover, incentivar e premiar os casos nacionais de sucesso dos setores da Agricultura, Agroindústria, Florestas e Pecuária.

No âmbito da 8.ª edição desta iniciativa, a Casa Ermelinda Freitas viu reconhecido o seu esforço e mérito empresarial, através da atribuição do prémio “Personalidade do Ano”. Mais uma vez, esta adega destaca-se no seio do tecido económico nacional pelo caráter empreendedor e inovador da sua proprietária, cujo percurso tem contribuído para a valorização do concelho de Palmela e do setor vitivinícola da região da Península de Setúbal.
Reunida em Fernando Pó, a 29 de janeiro, a Câmara Municipal de Palmela parabeniza a Dr.ª Leonor Freitas, reconhecendo o seu profissionalismo e a sua capacidade de abraçar desafios, projetos e parcerias, cujo impacto tem sido muito relevante para a promoção e divulgação do concelho de Palmela.”

Casa Ermelinda Freitas

A empresa, iniciada em 1920 por Deonilde Freitas, continuada por Germana Freitas e mais tarde por Ermelinda Freitas, sempre dedicou especial atenção ao vinho. Pelo desaparecimento precoce do seu marido, Manuel João de Freitas, Ermelinda deu continuidade à empresa com colaboração da sua filha única, Leonor, que embora com formação fora da área vitivinícola, tomou a liderança da empresa reforçando assim a presença feminina na sua gestão.