//Bruxas de Arruda

Bruxas de Arruda

Histórias de santas milagrosas, de mouras encantadas, de bruxas, de gigantes, de lobisomens, povoam desde sempre o imaginário da vila de Arruda dos Vinhos.

Mas se a maioria permanece apenas na tradição oral, a existência de bruxas é atestada pela memória dos mais velhos, que ainda hoje falam das ´’Bruxas da Arruda’.

Sob esta designação identifica-se uma sucessão de mulheres da mesma família que teriam transmitido de mães para filhas os seus segredos acerca das propriedades curativas de certas plantas. Ignora-se quando terá tido início esta dinastia, mas presume-se que os seus conhecimentos terão sido herdados das últimas Comendadeiras da Ordem de Santiago, que eram parentes dos cavaleiros de Santiago, quando aquelas, no século XIII, abandonaram a quinta da Arruda, onde viviam reunidas por concessão de D. Afonso Henriques, para se instalar no mosteiro de Santos, em Lisboa.

As primeiras bruxas seriam, certamente analfabetas, mas, mais próximo de nós, terão começado a consultar o “Livro de São Cipriano”, para aprofundar os seus conhecimentos. A primeira cujo nome é conhecido, Ana Lérias, da Aldeia das Neves, viveu no século XIX e conhecia bem as plantas caraterísticas da zona da Arruda dos Vinhos, como a erva arruda, as malvas, as barbas de milho e a hortelã. Também ela legou os seus saberes a uma filha que, por sua vez, os transmitiu à geração seguinte, Adelaide Piedade Louro, como foi confirmado pelo seu próprio neto. Inspirado pelas personagens desta tradição, o senhor Ramalheira, proprietário da Pastelaria Flamingo, na Arruda dos Vinhos, criou um bolo a que deu o nome de “Bruxas da Arruda”.

Ingredientes
Para a massa: farinha; ovos; açúcar; óleo para amassar; nozes. Para o recheio – Creme de pasteleiro: ½ l de leite; 6 gemas de ovos; 1 chávena de açúcar; 3 colheres de sopa de farinha; baunilha: q.b. Para a decoração – Creme de chocolate: 1 pacote de natas; 1 tablete de chocolate de culinária

Preparação
Amassa-se a farinha com os ovos, o açúcar e o óleo.
No final, adicionam-se as nozes. Divide-se e recorta-se a massa, em quadrados Para fazer o creme de pasteleiro, misturam-se as gemas com o açúcar, mexendo sempre. Acrescenta-se a farinha a pouco e pouco, sem deixar criar grumos. Junta-se o leite em fio e leva-se a lume muito baixo, sem parar de mexer.
Quando o creme ficar espesso, retira-se do calor e deixa-se arrefecer. Junta-se um pouco de essência de baunilha. Recheia-se a massa com o creme de pasteleiro, Leva-se ao forno, a baixa temperatura e decora-se com o creme de chocolate. Para fazer o creme de chocolate levam-se as natas ao lume até ferver. Depois tiram-se do lume e coloca-se o chocolate partido aos bocados. Mexe-se até se obter um creme.

Pode acompanhar as Bruxas de Arruda com o vinho generoso de Carcavelos ou com o vinho licoroso da região de Óbidos.

Texto e fotos: Livro ‘ Os Sabores da Nossa Terra’: Leaderoeste – Associação para o Desenvolvimento e Promoção Rural do Oeste.