//Bolo dos Generais

Bolo dos Generais

Um doce cuja ‘história’ inclui os produtos da região Oeste, as invasões francesas e o duque de Wellington.

As ambições de Napoleão Bonaparte eram muito claras quando em 1807 expediu as suas legiões para solo português. Aliado à coroa espanhola, pretendia dividir o reino de Portugal de modo a, indiretamente, atingir os interesses comerciais do Reino Unido.

No início de agosto de 1808 as tropas inglesas, chefiadas por Sir Arthur Wellesley, futuro duque de Wellington, desembarcaram na Figueira da Foz para, juntamente com a resistência portuguesa, fazer frente às forças ocupantes. Informado do desembarque, Junot enviou o General Delaborde para impedir o avanço inimigo. O corpo expedicionário de Wellesley rumou para sul e, no dia 16 de Agosto, perto da povoação da Roliça foram avistadas as primeiras tropas francesas.

Para preparar o confronto que se antevia, nesse dia o General Sir Arthur Wellesley comandante do exército luso-britânico reuniu com os oficiais Generais que compunham o comando estratégico das forças aliadas, numas instalações agrícolas cedidas, para o efeito, pelos proprietários. Pediu então à sua anfitriã que lhe confecionasse o seu bolo preferido. Consta que o General, ao provar o bolo, terá exclamado que era o mais saboroso que jamais havia provado. Tal elogio deve-se, certamente, ao facto de os ingredientes serem produzidos nesta região do Bombarral, Oeste de Portugal, cujo microclima específico influi nas suas características, tornando-os únicos.

A Casa Agrícola J. Nicolau, à qual, há muitos anos, foi confiada esta receita por um descendente direto dos proprietários das instalações onde decorreu a célebre reunião, situadas perto da povoação da Roliça, tenta reproduzir artesanalmente este maravilhoso bolo que, dados os factos, é considerado parte da história e do património cultural desta região.

Esta é uma receita registada e por essa razão, só é possível referir os ingredientes utilizados: mel, ovos, manteiga, açúcar, farinha, cerejas, peras, passas de uva, miolo de pinhão, miolo de noz, miolo de amêndoa, arrobe de uva, laranja, limão, vinhos licorosos, fermento de pão.