Autoridades dizem que Nutella pode causar cancro

Autoridade Europeia para a Segurança Alimentar (AESA) alertou para a presença de um ingrediente potencialmente cancerígeno, mas a Ferrero já veio desmentir.

Na sequência das «suspeitas» levantadas pela AESA, o fabricante deste creme de avelã tão famoso no mundo viu-se confrontado, para além da má publicidade, com a posição de alguns supermercados italianos que boicotaram o produto.

3.1Em causa está o óleo de palma refinado e enquanto a Ferrero, empresa que fabrica Nutella, refere que o ingrediente é essencial para dar ao creme a consistência que tem, a AESA diz que o óleo de palma é cancerígeno quando refinado a temperaturas acima de 200ºC.

E aquela autoridade europeia acrescenta que o risco é ainda maior para as crianças, independentemente das quantidades consumidas, que são sempre perigosas. A presidente da AESA afirmou mesmo que “existem provas suficientes de que o glicidol é genotóxico e pode causar cancro”.

A Ferrero, empresa que produz a Nutella, esclareceu em comunicado que seleciona cuidadosamente a qualidade das matérias-primas e aplica processos industriais específicos que limitam a sua presença a níveis mínimos, totalmente alinhados com os parâmetros definidos pela EFSA. “Além do mais, as nossas equipas de qualidade monitorizam constantemente estes fatores e garantem a segurança alimentar dos nossos produtos para o consumidor”, afirmam assegurando que a Nutella “não é cancerígena”, nem foi retirada do mercado em nenhum país.

As notícias referem um custo de 20 milhões de euros por ano para substituir o ingrediente em causa. Já o diretor de vendas da Ferrero, Vincenzo Tapella, afirmou à agência Reuters que “fazer Nutella sem óleo de palma poderia resultar num produto inferior o que seria um passo atrás”.

Refira-se que além da Nutella, também a Cadbury, a Clover e a Ben&Jerry’s usam o mesmo ingrediente.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *