«Ano da Gastronomia de Macau» com pastel de nata

Uma iniciativa que faz parte de um plano a desenvolver em quatro anos e que surge na sequência da designação recém-atribuída pela UNESCO.

Em outubro do ano passado Macau entrou para a Rede de Cidades Criativas da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) na área da Gastronomia, passando a ser a terceira cidade na China, a seguir a Chengdu e Shunde, a conquistar essa distinção.

No lançamento da iniciativa o secretário para os Assuntos Sociais e Cultura considerou que o ano de 2018 constitui uma excelente oportunidade para “tirar partido da nova designação de Macau como membro da Rede de Cidades Criativas da UNESCO na área da Gastronomia para ampliar a promoção da nossa cidade como um destino culinário”.
Já o vice-diretor-geral da UNESCO, Getachew Engida, lembrou que a gastronomia sempre ocupou um lugar especial na cultura e tradições de Macau, lembrando exemplos de iguarias, como o “famoso pastel de nata português”, que, a seu ver, “ilustra na perfeição a cultura singular” do território que representa “numa harmoniosa fusão entre o Oriente e o Ocidente”.

Ampliar a divulgação e promoção de Macau como Cidade Criativa na área da Gastronomia constitui uma dos objetivos desta iniciativa, com o Governo a ponderar, por exemplo, adicionar percursos gastronómicos aos roteiros turísticos ‘Sentir Macau passo-a-passo’.

Foi afirmada a importância da formação materializada na intenção de constrção de um centro de ensino técnico-profissional, onde vão ser disponibilizadas ações de formação no ramo. Já ao nível do ensino superior, o Instituto de Formação Turística (IFT) iniciou os preparativos para a criação de um centro culinário.

Considerada igualmente de enorme importância é a criação de uma base de dados sobre os pratos de comida macaense “para preservar a história, receitas e técnicas culinárias”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *