Alcobaça elegeu o melhor doce conventual de 2016

5-2O «Torrão Real» da Pastelaria Alcôa e a «Ginjinha de Alcobaça» da Licores A. Gerardo, Lda conquistaram os respetivos júris, do concurso de melhor doce e melhor licor conventual.

A estes dois vencedores deve acrescentar-se a «compota de ameixa com chocolate» das monjas cistercienses de Rio Caldo no concurso de compotas e o «Pudim de Ginja M.S.R. David Pinto» apresentado pela Escola Profissional Agrícola e Desenvolvimento Rural de Cister (Epadrc) como vencedor da categoria inovação do concurso de doçaria.

No âmbito da 18.ª edição da Mostra Internacional de Doces & Licores Conventuais que decorreu em Alcobaça entre 17 e 20 de novembro a organização promoveu, mais uma vez, o concurso de Doces Conventuais cujo júri atribuiu o primeiro prémio ao «Torrão Real» apresentado pela pastelaria Alcôa. Foram ainda atribuídas menções honrosas ao «Pão-de-ló de Ovar», da Flor de Lis, de Ovar, e para os «Torrões da Abadia» da Padaria do Marquês, de Leiria.

5-3O coletivo que integrou o júri de Licores Conventuais atribuiu o primeiro lugar à «Ginjinha de Alcobaça» da Licores A. Gerardo, Lda, o 2.º prémio ao licor de Singeverga, do Mosteiro de Singeverga, de Santo Tirso, e o 3.º lugar ao “Licor de Ginja” da Rosmaninho Limão, de Alcobaça.

A importância destes concursos manifesta-se pelo interesse dos visitantes em provar (e comprar) os produtos premiados que, após o anúncio dos resultados, são assinalados pela organização junto dos respetivos produtores.

A Mostra de Alcobaça

A cidade de Alcobaça acolheu a primeira Mostra Internacional de Doces e Licores Conventuais em 1999, numa clara intenção de motivar à preservação e divulgação do património doceiro dos conventos, nomeadamente dos Monges e Monjas Cistercienses dos Conventos de Alcobaça e Cós.

Em 2006, ao passar de uma tenda concebida para o efeito para o interior do Mosteiro de Santa Maria de Alcobaça, a Câmara Municipal, enquanto promotora do evento «elevou» a fasquia desta aposta. E em boa hora o fez, pois à resposta por parte de representantes internacionais de Espanha, França, Bélgica, Polónia e Brasil e presenças de mosteiros ou conventos portugueses como Singeverga, Louriçal, Montalvo e Rio Caldo, correspondeu uma enorme adesão de público.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *