Água um «alimento» fundamental

A Água é um componente tão básico da nossa alimentação que, na maioria dos dias, nos esquecemos dela… Sabia que existe em Portugal uma Confraria da Água?

As recomendações existentes para a ingestão diária de água (2 litros e 2,5 litros para mulheres e homens, respetivamente) parecem, à primeira vista, inatingíveis, desmotivando-nos para o seu consumo – “se não consigo beber isso tudo, nem vale a pena tentar”. Esqueçamos as recomendações e foquemos a nossa atenção na criação de estímulos que nos permitam beber mais água do que actualmente. Um bom exemplo é a recente moda de ingerir um ou vários copos de água em jejum. Quente, fria, morna, com um dente de alho, com gotas de laranja e limão, de tudo se apregoa com vista a “desintoxicar” o nosso organismo ou a fazer uma “activação geral” do mesmo.

Independentemente do que adicionar, o importante é que pura e simplesmente beba água porque durante o sono ocorrem perdas hídricas significativas pela respiração e, ao acordar, mais do que pedir que o “desintoxique”, o organismo pede que o hidrate. Deste modo, a ingestão de água logo pela manhã deve ser tornada uma rotina tal como é o duche e o pequeno-almoço. Uma outra rotina matinal fundamental para a monitorização do seu estado de hidratação é a vigilância da cor da urina, que deve ser o mais próxima possível da “cor” da própria água (ou seja, incolor ou transparente). Para que tal ocorra, a ingestão de alimentos ricos em água – como fruta e legumes, sopas, ensopados e arrozadas – ajuda, mas não é suficiente. Temos de encarar a água da mesma maneira que o telemóvel ou a carteira, sem os quais nos sentimos «despidos» quando nos esquecemos deles em casa.

Pode parecer um pormenor insignificante, mas muitos dos «mini-problemas» que nos dificultam o dia de trabalho não são mais do que sintomas de desidratação. Se pensarmos que, apesar de ocupar apenas 2% do nosso peso corporal, o cérebro recebe 20% do nosso fluxo sanguíneo, constatamos que uma diminuição desse fluxo (como acontece quando estamos desidratados) o deixa a funcionar a “meio-gás” e como tal as dores de cabeça, o cansaço e as dificuldades de concentração podem ser simplesmente resolvidos com um (ou vários) copo (s) de água à nossa frente.
Pedro Carvalho, nutricionista

Confraria da Água

Em Portugal existe desde o dia 22 de Março de 2004 (Dia Mundial da Água) a «Confraria da Água – Associação de Provadores de Água de Portugal» que realizou a sua cerimónia de Entronização no dia 17 de Abril do mesmo ano, na Quinta das Lágrimas em Coimbra. Estiveram presentes duas Confrarias de Água conhecidas no mundo a «Confradía Gastronómica del Agua» de Barcelona – Espanha, e a «Confrérie des Gousteurs d´Eau» de Contrexéville – França, que apadrinharam o acto.

“Tal como acontece com o vinho, onde há distinção e qualificação dos diferentes tipos de vinho, também a água possui diferentes composições e propriedades, que as distingue e torna únicas”, garante um dos responsáveis da Confraria da Água.

Entre as atividades desta confraria contam-se provas cegas de águas e formação a profissionais de hotelaria, para além da participação e ações com profissionais de cozinha onde se discute, por exemplo, a vantagem da utilização de água natural na confecção de um prato de gastronomia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *